Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

Como dizer que não estou bem

Nos momentos em que as pessoas estão mais apreensivas com seu trabalho é comum ter receio de afirmar de que não se está bem, principalmente quando o número de demissões faz assustar os profissionais de qualquer área. Existe uma sensação no ar de que “qualquer coisa” pode comprometer a análise do chefe em relação ao seu desempenho.

Na verdade, isso é um mito. As corporações brasileiras, em geral, não estão muito preocupadas com a competição entre seus funcionários. Algumas, inclusive, estimulam a competição com o intuito de ter metas mais elevadas. E, talvez isso leve a qualquer profissional ter uma desconfiança para abrir seu coração e falar sobre seus sentimentos no ambiente corporativo. “Como posso falar que não estou bem se estou num lugar de desconfianças?”

É o que muitos sentem. Por isso, preferem chorar no banheiro da firma, quietinho(a), a ter que dividir com chefes, ou com os colegas que vivem passando uma rasteira, de que uma pessoa da família possui uma doença terminal. Ou de que o casamento está abalado pelo número de horas trabalhadas. Ou ainda, de que um filho não vai bem na escola. Enfim, aquilo que abala o ser humano é algo muito particular. Por isso, até pode ser  visto como uma besteira. Então, como compartilhar que você não está bem?

Bom, eu tenho uma boa notícia para você. Sabe esse padrão que citei agora há pouco de competição, chefes boçais e clima organizacional tenso? Ele está diminuindo. Isso porque já faz certo tempo que as empresas começaram a enxergar de que é preciso valorizar o ser humano, entendê-lo, incentivá-lo  e não apenas cobrá-lo. Chefes estão sendo preparados para serem líderes (ainda que a passos lentos). As empresas estão se preparando também e cada vez mais para terem uma abordagem humana em relação ao profissional.

Mas, se esse é um sonho distante ainda na empresa onde você trabalha é preciso ser prático e analisar: de que maneira o problema em que você vive pode atrapalhar o seu trabalho? Para quem, de fato, você pode contar de que não está bem? Se você não tem um chefe que é um líder e sabe que ele vai lhe perseguir por considerar que você não está bem, que tal ir conversar direto com o pessoal do RH?

Algo muito importante quando você diagnostica que não está bem é a maneira como você vai comunicar isso. Não faça dramas. Não chegue à empresa onde trabalha chorando. Quando você ver que não vai dominar suas emoções, espere se acalmar para contar para as pessoas. Em outras palavras “não torne sua dor um espetáculo”. Sabe por quê? Porque as dores, por mais difíceis que sejam, passam.

Portanto, escolha bem as palavras que vão traduzir seus sentimentos. E tente ponderar. Por exemplo, “chefe, estou me sentindo sem energia diante de um problema que estou vivendo na minha família. Poderia tirar uma semana para resolver essas questões?” Nada de “você não sabe o que eu estou passando.” Isso não vai lhe ajudar.

 

O que você talvez não saiba é que todo mundo dentro de uma empresa (e fora dela) está travando uma batalha dificílima consigo mesmo(a).  Mais um motivo para não dramatizar. Tente encontrar um discurso viável e negociar aquilo que você precisa de um jeito firme, com palavras suaves.

Um ponto muito importante quando se consegue um acordo com a empresa é se comprometer a voltar ao seu ritmo normal de trabalho. Parece doloroso pensar nisso, mas crie um prazo para si mesmo(a) para ”melhorar o seu astral” . Por mais difícil que pareça,  essa é uma maneira de você comunicar a si próprio de que é capaz de vencer seus obstáculos. E, aos poucos, você verá que é mesmo.

Agora, se você tiver toda essa cautela e ainda assim for perseguido porque não esteve bem durante um período no trabalho é hora de analisar se você está mesmo na empresa certa. Afinal, quem nunca teve problemas que lhe abalaram talvez humano não seja.

 

CTA_novo