Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

O segredo para manter a relevância da comunicação interna: gestão inteligente de canais

Para tratar sobre estratégias de canais de comunicação, gosto muito da parábola sobre um lenhador que era desafiado a cada dia no trabalho a cortar mais e mais árvores. Desde que começara a trabalhar, acordava cedo todos os dias, antes mesmo do sol raiar, pegava seu machado bem afiado, sua força de vontade e partia para a floresta.

Lá, ele encontrava outros lenhadores, mas um em especial lhe chamava a atenção porque o cumprimentava e sentava durante um bom tempo para afiar seu machado antes de partir de fato para a floresta. O primeiro lenhador não entendia como era possível segundo perder tanto tempo fazendo isso, e, no fim, ainda voltar com muitas toras, enquanto ele trabalhava exaustivamente, às vezes para derrubar uma só arvore. Indignado então, um dia ele pergunta:

- Como você fez para produzir tanto e de maneira tão rápida?

– Meu caro, quando chego e sento para afiar o machado, não estou apenas pensando nisso. Eu me concentro para o trabalho, percebo sentido do vento, a inclinação do terreno, elejo as melhores árvores para abater e, principalmente, estudo onde e de que maneira vou golpear o tronco.

Moral da história?

Para a comunicação interna, podemos interpretar que se você quer relevância, além de apenas “amolar seu machado”, é preciso observar o terreno para tomar as melhores decisões. Na prática, isso aplica-se à pensar sobre estratégias adequadas para os canais de comunicação.

Para fazer isso, saiba que um dos principais fatores de sucesso da comunicação interna é o desenvolvimento de uma rede interna de comunicação alinhada às necessidades da empresa, em que os canais são usados de forma adequada e coerente, sendo escolhidos levando em consideração a abrangência de público, suas preferências e hábitos de consumo das informações e, também, as características editoriais pertinentes a cada canal.

Da teoria à prática para a comunicação interna

Para começar a gerenciar de forma estratégica os canais, é necessário definir se a comunicação circulará mais pulverizada ou concentrada. Essa decisão irá determinar a quantidade de canais na empresa. É importante lembrar que quanto maior a quantidade de canais, mais trabalho se terá com gestão integrada. Por isso, pode ser preferível optar pela concentração, que demanda um número menor de ferramentas.

Com isso em mente, o próximo passo é desenvolver a Matriz da Rede Interna de Comunicação para coletar informações primordiais para a estratégia de canais da empresa. Nessa matriz será possível ter uma visão clara de cada canal para pensá-los de maneira mais inteligente. Ela deve conter as colunas: …. Este artigo está publicado na íntegra na edição 18 da Revista Cultura Colaborativa. Para continuar a leitura acesse:

banner-blog

CTA_novo