Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

O que os escritórios mais produtivos têm em comum

[Via Valor Época Negócios]

Ao notar a decoração que domina o interior de startups, principalmente nos Estados Unidos, e ver as novas tendências de decoração para escritórios, no geral, vemos que muito tem mudado. No lugar das persianas, mesas cinzas, e salas de vidro entra de tudo: redes, mesas de ping-pong, puffs, bancadas sem cadeira ou divisão e até paredes verde-musgo. Tudo em nome da criatividade e maior engajamento que o novo ambiente possivelmente traz aos funcionários. A teoria, ao menos de início, faz sentido: ambientes novos mudam nossa energia, humor e vontade de realizar alguma ação.

Mas, de fato, só trocar os móveis e derrubar as divisões das paredes faz diferença na equipe? A revista Fast Company tentou responder a esse questionamento analisou as novas tendências do ‘design corporativo’. Encontrou quatro características que estão presentes em empresas classificadas como inovadoras e com funcionários produtivos dos Estados Unidos. Confira abaixo:

Eles criam uma linha tênue entre a sua casa e o seu escritório

Um estudo da consultoria Gallup mostrou que 21% dos americanos trabalham entre 50 e 59 horas por semana – o maior índice do mundo. Muitos deles gastam mais horas no trabalho do que nas próprias casas. Se não há jeito de mudar isso, por que não tentar trazer um pouco do clima de casa para o trabalho? Pensando nisso, Noa Santos, cofundador da Homepolish, uma empresa de design de interiores de Nova York, considerou atividades que uma pessoa gostaria de fazer em casa, pensando em entretenimento e transformou todo o espaço. Bares, sofás como aqueles que podemos nos jogar em frente a uma TV gigante, cadeiras para sentar e conversar, mesas onde o café da manhã é colocado. Estruturas para diminuir o barulho e paredes brancas.

Eles utilizam cada m² do espaço 

Em muitas cidades, o preço do metro quadrado – principalmente o comercial – é bem salgado. Maximizar aquele espaço conseguido então torna-se algo essencial. A Fast Company cita o exemplo de Nova York, onde o espaço horizontal, por exemplo, é caríssimo. O que leva muitas empresas a alugarem, por exemplo, mais de um andar – o que fica caro, mas nem tanto.  Nesse ambiente colocar ‘beliches’ próximos à parede, otimiza o espaço ao mesmo tempo em que fornece um lugar mais privativo onde as pessoas podem trabalhar de forma mais independente. A ideia é trazer um pequeno isolamento em um espaço amplo colaborativo e aberto. Para construir salas de reunião, uma tendência que tem surtido efeito é construir como se fossem estufas – com estruturas que podem ser rapidamente desmontadas e armazenadas. O objetivo é criar bastante variedade no espaço para que suporte vários tipos de trabalho e formas de colaboração.

O espaço é flexível e adaptável em caso de crescimento da empresas (e funcionários) 

Para iniciantes , a preocupação é como seu espaço irá apoiar o crescimento futuro. Esta preocupação é muitas vezes repetida por grandes empresas mais estabelecidas, nas quais os custos de mudanças de funcionários e espaço de escritório fica muito caro. Entenda como você vê e considera aquele espaço e pergunte-se: qual é a função atual e qual é a função futura. É preciso ter planejamento estrutural: você vai duplicar sua equipe técnica em seis meses ou vai terceirizar completamente sua equipe de vendas interna?

Utilizam o espaço como argumento para atrair e reter talentos 

A taxa de desemprego nos EUA atualmente é de 5,4%. O mercado de trabalho é apertado e a atração e retenção de talentos-chave é altamente competitiva. No mercado de tecnologia, onde a taxa de desemprego é atualmente de 2,3%, a concorrência é feroz. Assim uma startup competindo por talentos pode usar seus escritórios como uma ferramenta de recrutamento. O objetivo é fazer com que o espaço de escritório seja interessante na vida dessa pessoa, para que ele ou ela queira passar mais tempo no trabalho. Grandes companhias também investem para que seja mais prazeroso ficar ali. Os melhores espaços, dizem, são aqueles que todas as pessoas que ocupam sabem exatamente por que estão ocupando aquele local – e o trabalho que precisam desenvolver. Seja perto de uma mesa de ping-pong, numa mesa redonda entorno do escritório ou no puff. O trabalho é influenciado pelo espaço – enquanto o ambiente muda a percepção do trabalho.

Reportagem original em Época Negócios

CTA_novo