Pressione "Enter" para pesquisar ou "Esc" para cancelar.

O que é ser um bom líder?

O que é ser um líder? Segundo pesquisa, um líder deve ser inspirador, estratégico, com habilidades interpessoais e conseguir aliar lucros da empresa com o bem-estar de colaboradores a uma participação social significativa.

Para Ana Paula Baseggio Lehmkuhl, Gerente Desenvolvimento Humano e Organizacional do DOT Digital Group, há a necessidade de rever estas questões e refletir sobre os conceitos que temos como “verdades”. Segundo ela, quando as pessoas qualificam um líder por um adjetivo já sacramentado é importante convidá-las a ponderar sobre o que isso significa.

Ana explica que ao confrontar as pessoas sobre estas afirmativas há resultados surpreendentes, com respostas fora das obviedades catedráticas. Para ela, é importante haver essa reflexão, “porque estamos trabalhando com uma geração que tem outra proposta de inspiração, que é diferente da maneira como era, mas ainda não pararam pra pensar sobre. Por isso, é interessante esta reflexão, pois estamos reconstruindo significados em um momento novo para as pessoas e para as empresas”, pontua.

Na contramão das assertivas da profissional, encontramos na internet uma infinidade de guias de liderança que prometem revelar o segredo. No melhor estilo pastelão americano, eles trazem 15 atitudes, 20 mistérios, 12 dicas além de uma infinidade de números e pontuações que descrevem como deve ser um ‘verdadeiro’ líder. Talvez, entre nestas listas alguns dos tópicos apontados pelos entrevistados na pesquisa, mas a retórica retorna ao ponto inicial, pois o importante é saber o que é ser um líder para você.

Neste contexto abordamos alguns jovens líderes que responderam a pergunta. Confira o resultado:


20_aNa minha opinião, ser líder é sempre estar ao lado da sua equipe, é esquecer o eu, e colocar o nós. Nós podemos fazer mais juntos, não eu ou você pode fazer. Liderança é quando sua equipe o segue sem que o peça para isso, eles também trabalham pela empresa sem esforço, porque sabem que o líder está trabalhando junto, em conjunto. É saber escutar, é ter o jogo de cintura, é dialogar. Liderança é também admitir o erro, é ter humildade e pedir ajuda para solucionar algum problema.

Felipe Feijó, Gerente Comercial da Inside Corner, Florianópolis 


20_bLíder na minha opinião, é ser alguém que inspira pelo exemplo, um facilitador que dê a direção. Alguém que colabora, ou seja, que põe a mão na massa também.  Alguém que sirva com paixão, ajudando as pessoas e empresas, a crescerem e desenvolverem.

Raíza Terra, Gestora de Comunicação na Projectlab, Rio de Janeiro 


20_cSer um líder para mim é ser um exemplo. Aquela pessoa que você confia e se espelha. É alguém que sabe se adaptar as situações, quando necessário cobra da equipe mas também sabe dar bons feedbacks. Ser um líder é ser próximo dos liderados, conhecer como eles são, o que almejam e o que sentem.

Lilian Ertel, gerente de Customer Success da SocialBase, Florianópolis


20_eSer líder para mim é desenvolver pessoas para que elas se tornem líderes. E para ter o espírito de liderança, não é necessário ter uma equipe, é necessário ter postura e valores de liderança, tais como: ser colaborativo, possuir inteligência emocional, ser ético nas suas decisões e principalmente, desenvolver outras pessoas para que alcancem a melhor versão de si mesmas.

Camila Meneghetti, Analista de Informação do Dot Digital Group, Florianópolis


20_fPara mim, ser líder é inspirar as pessoas a realizarem seus propósitos profissionais em concordância com os objetivos da empresa, visando os resultados tanto na esfera pessoal quanto de carreira e também organizacionais. É promover o outro a partir do que ele é e tem, e criar um ambiente de aprendizagem, que permite a superação dos desafios.

Livia Felizardo, Gerente de EAD do DOT Digital Group, Florianópolis



Na análise de Ana Paula Baseggio Lehmkuhl, ser um bom líder é saber ouvir e ler os cenários. Para ela, estas duas características são primordiais para a concepção de uma relação transparente e compartilhada entre líder e equipe.

20_d

Confira na entrevista as percepções da Profissional sobre o tema.

O que é ser um líder?

Destaco uma frase muito usada em nosso programa de liderança: um bom líder inspira uma equipe a ter confiança nele, um grande líder inspira uma equipe a ter confiança em si mesmo. E, isso só se consegue ouvindo as pessoas. Na minha opinião, ouvir e ler os cenários é uma característica essencial a um bom líder. Porque, é a partir daí que sabe-se o que é preciso fazer para inspirar, desenvolver e motivar uma equipe. Sem isso todos os outros requisitos de ser um bom líder não funcionam.

Na sua visão que características deve ter um líder?

Há várias características essenciais a um líder, a liderança aliada a vários comportamentos inerentes a esta liderança, a comunicação, a metodologia, ou seja, como é desenvolvido o trabalho, como o líder faz com que a equipe se desenvolva e as competências de produtividade. No nosso caso, trabalhamos com tudo interligado. Em outras palavras, as competências necessárias para ser um bom líder estão conectadas com o planejamento estratégico da empresa. Também é importante ressaltar a capacidade de saber ouvir e o comprometimento – primeiro consigo mesmo, pois se não for comprometido comigo mesmo, não vou ser comprometido com ninguém. Logo, com este comprometimento comigo eu consigo passá-lo à equipe, gerando confiança nas minhas ações, credibilidade e bom humor. O bom humor é muito importante, pois traz leveza e tranquilidade para encontrar as melhores soluções aos problemas diários.

E estes conceitos são aplicados no mercado?

Acredito que a aplicação é uma busca constante, mas é interessante ver que as pessoas os estão buscando. Eu percebo-as buscando ser um líder melhor, mas principalmente procurando aprender com aquilo que elas vivenciam e com feedbacks recebidos.  E isso, é um grande passo.

O que motiva esta busca constante?

Cada vez mais a geração Y quer líderes que sejam dinâmicos, que não estejam presos à “caixinhas”, mas que lidem diariamente com estruturas menos rígidas, que consigam realmente implementar coisas novas em produtos, serviços e processos. Não quero dizer aplicar grandes inovações, mas com coisas novas agregadoras ao trabalho. Então, acredito que o líder de hoje precisa ter a cabeça aberta a esta dinamicidade, para ouvir o que as pessoas têm a dizer e também conseguir canalizar toda a energia e esta vontade de fazer diferente e melhor ao nosso dia a dia.

Como a geração Y está estimulando uma mudança de conceitos?

Vejo esta vontade de mudar em muitas pessoas que estão chegando, e estão se interessando por isso, vejo muita boa vontade nos jovens que estão em formação. Eu acredito muito nessa geração, porque são pessoas que se colocam no lugar dos outros, que querem entender o outro e querem fazer o melhor pra si e para os outros. Em outras palavras, esta geração tem uma outra proposta, que é diferente da maneira como era, e é interessante analisar a forma como eles pensam questões tradicionais e trazem respostas surpreendentes, totalmente fora da obviedade, fora do que é catedrático. Então, o fascinante é que estamos reconstruindo os significados das coisas. É um novo momento para as pessoas e para as empresas.

Podemos afirmar que sem um bom líder as empresas não funcionam?

As pessoas possuem o capital intelectual delas, mas caso não queiram aplicá-lo às empresas, principalmente em organizações que demandam conhecimento, há um grande prejuízo. E as empresas precisam deste capital, precisam que as pessoas estejam disponíveis, confortáveis e em um ambiente que oportuniza aprendizado e crescimento e, além disso, as estimulem a colocar todo o capital intelectual delas na corporação. Este é hoje um dos papéis do líder, fazer com que as pessoas queriam compartilhar esse conhecimento.

Dentro desta ideia, líderes devem ser inspiradores?

Mas o que quer dizer ser inspirador? Quando entrevisto candidatos, sempre os questiono sobre o que eles esperam da empresa, e uma das repostas mais recorrentes é ser reconhecido. Mas o que significa ser reconhecido? Podemos utilizar a mesma lógica quando as pessoas dizem que precisam de líderes inspiradores. Acredito que falta uma reflexão por parte das pessoas. Porque temos um cenário muito amplo, confortável e que pode não me dizer nada. Hoje não me diz! E, é preciso entender melhor este cenário, pois a inspiração vem de maneiras diferentes para cada indivíduo. Assim, é importante a um líder saber ouvir e ler o cenário, pois a partir disso é possível conhecer o ambiente onde se está, as pessoas com quem convive, o que precisa ser entregue e as atividades do dia a dia. Se há a leitura deste cenário é possível aplicar todos os termos que estamos acostumados: inspirar; motivar; desenvolver; treinar, etc. Logo, é preciso refletir sobre o que é ser um líder inspirador, motivador. O que isso quer dizer pra mim.

Como um líder pode equilibrar lucros, bem-estar dos colaboradores e um trabalho social?

Acredito que as empresas além de ter um trabalho social, dar resultado e equilibrar com a qualidade de vida é importante ter um propósito. Eu preciso estar em um lugar onde haja um propósito, onde eu acredite que meu trabalho é relevante. É aí que entra o social, porque eu tenho que fazer algo que não fique só na empresa, mas que interfira na sociedade. Neste sentido, o trabalho do recursos humanos tem uma premissa incrível, que é: se preocupar em como a empresa entrega as pessoas no final do dia. Isso vai pra sociedade, então como eu entrego as pessoas no final do dia? Eles saem da empresa irritados e estressados porque passaram um dia horrível por não serem respeitadas, e saíram pra sociedade brigando no trânsito, brigando com familiares ou não, entregamos as pessoas no final do dia bem, tranquilas sabendo que passaram um dia digno de trabalho. Acredito que conciliamos isso dessa forma. Em outras palavras, aqui temos um trabalho de impacto positivo na sociedade e com ações de qualidade de vida.

Como identificar possíveis líderes?

Quem diz isso são as pessoas. Os líderes surgem naturalmente, é a equipe que os elege. E para isso é preciso estar próximo das pessoas, oportunizar um ambiente de aprendizado e crescimento, onde se consiga ver de que forma as pessoas compartilham o que sabem, como elas recebem este ensinamento, como o líder recebe o ensinamento dos outros, são coisas do dia a dia que a proximidade e a própria equipe trazem. Porque se a empresa eleger um líder que as pessoas não o veem como tal, a resistência é muito maior. No nosso caso, trabalhamos a busca de líderes e colaboradores com toda a equipe. Mesmo gestores que entram por processo seletivo podem passar por este crivo. Assim, em todas as entrevistas envolvemos as pessoas que estarão com ele, para fazer parte deste momento da escolha. Assim, quando essa pessoa chega, ela já é melhor recebida, já tem uma outra percepção por parte dos colaboradores, até porque eles também sentem-se responsáveis por aquela escolha.

 


Imagem principal, líderes apontados pelos entrevistados: Ben Carson; Leonardo Hoffman – O monge e o executivo; Dalai Lama.
Diagramação: Eduardo Castro
Com colaboração de Priscilla de Andrade

CTA_novo